Base Centralizadora do Paraná traz consistência e segurança aos empresários paranaenses

spc brasil

spc brasil

Com o maior e mais confiável banco de dados do país, disponibilizado pelo SPC Brasil, também com dados do Serasa Experian, Serviço de Proteção ao Crédito – SPC, está sendo utilizado pelos associados da Acic Cianorte. O serviço é extremamente necessário para diminuir riscos de inadimplência.

A Base Centralizadora do Paraná, em operação desde o começo de fevereiro, além de garantir às Associações Comerciais e Empresariais (ACEs) do estado autonomia sobre os dados do Serviço de Informações Cadastrais, traz também consistência na consulta e segurança aos empresários paranaenses. O coordenador da Base, Gilmar Denck, explica que este serviço, implantado pela Faciap (Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná), “aumenta as vendas e reduz o risco de inadimplência, tornando as consultas mais consistentes graças à ampliação da Base Centralizadora”.

No começo de abril, um convênio de cooperação entre a FCDL/PR (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Paraná) e a Faciap, firmado em Brasília, garantiu o acesso da Base Centralizadora do Paraná ao Banco de Dados do SPC Brasil e SERASA, permitindo aos empresários consultar informações de pessoas físicas e jurídicas de todo o Brasil. “A Base está em funcionamento com abrangência nacional, o que aumenta o poder de recuperação”, destaca Denck.

Atualmente, 220 ACEs utilizam os benefícios da Base Centralizadora e outras 50 estão em processo de negociação, totalizando 270 entidades no estado, em um universo de, aproximadamente, 290 associações. No final de abril, foram realizadas reuniões com as Coordenadorias Regionais em 13 cidades para a apresentação do cenário atual, somando mais de 6.000 km percorridos. Em maio, técnicos do SPC Brasil de São Paulo realizam um treinamento mercadológico nas cidades de Maringá (07/05), Londrina (09/05), Ponta Grossa (14/05), Toledo (17/05) e Guarapuava (21/05). A expectativa da Federação é reunir de 80 a 100 pessoas por treinamento.

O presidente da Faciap, Rainer Zielasko, destaca a importância de oferecer um serviço de proteção ao crédito duradouro e seguro. “A Faciap está fazendo um grande serviço de resgatar esse Banco, ter autonomia sobre ele e hospedá-lo em um lugar seguro. Esse Banco pertence ao comerciante e as associações têm a responsabilidade de ser a mantenedora dele. Somos os responsáveis em fornecer as informações com segurança a todas as ACEs”, explica.

Sobre a FACIAP:

Fundada em 1959, a Faciap representa cerca de 290 associações comerciais no Paraná e um universo de mais de 50 mil empresas. A entidade é uma das maiores instituições do sistema no Brasil, com atuação em 75% dos municípios paranaenses. O objetivo da Federação é capacitar os micro e pequenos empresários para o mercado e criar possibilidades de crédito facilitado.


Cuidado: SPC, em Cianorte só a ACIC Tem!

Tradicionalmente ligado à Associação Comercial e Industrial, o Serviço de Proteção ao Crédito é a certeza de diminuição do risco de inadimplência.

O aviso de alerta de inclusão do nome no SPC é uma “pedra no sapato” de clientes inadimplentes. O receio de receber os tais avisos e de ter o nome na lista de inadimplentes é um dos fatores que levam tais clientes a acertarem suas dívidas.
Oferecido de forma segura para os associados da Associação Comercial e Industrial de Cianorte, com o maior e mais confiável banco de dados do país, disponibilizado pelo SPC Brasil, também com dados do Serasa Experian, o serviço é extremamente necessário.
Quando adquirido através da Associação Comercial e Industrial de Cianorte, além do banco de dados mais completo do país, o empresário tem o suporte acessível e a certeza de, caso haja necessidade, poder recorrer a Associação Comercial para resolver dúvidas, fazer sugestões e reclamações referentes ao serviço.

Alerta

Empresários de algumas cidades vizinhas receberam recentemente propostas de empresas não vinculadas às suas associações comerciais, oferecendo produtos similares aos do SPC, inclusive com nomes bem parecidos, com valores menores, mas que acabaram se tornando uma grande dor de cabeça, provando que o barato muitas vezes pode sair bem caro.
O valor das consultas um pouco abaixo dos praticados no mercado, são o atrativo principal. Esses valores são possíveis porque a empresa que vende os serviços não possui sede na cidade, ou entidade que abrigue equipe de atendimento, tendo todo seu atendimento feito em Curitiba.
Para se ter uma ideia do que poderia causar a adesão a um serviço em que não existe sede de funcionamento na cidade da empresa, em caso de problemas o empresário fica sem suporte pessoal, já que será atendido por telemarketing, a menos que se desloque para a capital.

Compartilhar